Outubro/2014

Municípios do Noroeste Colonial recebem R$ 546 mil em investimentos para a saúde

A Secretaria Estadual da Saúde (SES) repassou no inicio do mês de outubro, R$ 546.875,78 mil aos municípios da região Noroeste Colonial, para o financiamento do programa Estratégia de Saúde da Família (ESF) e a Política Estadual de Incentivo para Qualificação da Atenção Básica (PIES).

Na quarta-feira (15), um montante de R$  304.761,00 em recursos do Tesouro do Estado, foram repassados diretamente aos municípios de Ajuricaba, Augusto Pestana, Bozano, Catuípe, Condor, Coronel Barros, Ijuí, Jóia, Nova Ramada, Panambi e Pejuçara para financiamento do programa ESF. Com esta parcela, o total repassado pela SES para custeio e qualificação das equipes do programa, nos últimos três anos, chega a R$ 267 milhões.

Além do recurso liberado para a ESF, os municípios receberam outros R$ 242.114,78 mil relativos ao PIES, em 10 de outubro. A distribuição dos recursos leva em conta o coeficiente populacional e a população de crianças e idosos. Nesta rubrica, o financiamento passou de 15 milhões para 120 milhões de reais previstos para 2014. 

Os municípios com menor renda per capita e maior vulnerabilidade social receberam um valor maior, com o objetivo de qualificar o acesso aos serviços de Saúde. O recurso pode ser utilizado pelos gestores municipais para despesas de custeio, pagamento de salários e gratificações, equipamentos e veículos, reformas e ampliações de Unidades Básicas de Saúde, aluguel, entre outras ações que visem ampliar os serviços de Atenção Básica.

O Rio Grande do Sul foi o primeiro Estado a definir critérios sociais para distribuição desses recursos. Os repasses de outubro correspondem à parcela de maio do ESF e PIES.

Luciane Moura
Central do Interior
Diretoria de Jornalismo
Secretaria de Comunicação do RS
(051) 3213.0732 e Cel. (51) 9814-6903 e (55)9129.4205
Twitter: @interiorRS 

Candidatos ao Piratini discutem Agenda 2020

A Agenda 2020 reunirá, no dia 17 de outubro, das 14h30 às 16h30, os candidatos ao governo do Rio Grande do Sul concorrentes ao 2º turno das eleições em um evento no Plaza São Rafael, em Porto Alegre. O objetivo é apresentar os Sete Desafios do RS (1+6), áreas de atuação tidas como prioritárias para o crescimento do Estado.

 A Agenda 2020 debate, desde 2006, os principais temas que têm ligação direta com o desenvolvimento do Rio Grande do Sul. Os voluntários do movimento se reúnem em fóruns temáticos periodicamente e discutem, através de dados oficiais, novas formas de o Estado melhorar seus indicadores.

No primeiro semestre de 2014, a Agenda percorreu diversas regiões do Estado reunindo contribuições de voluntários para formular um Caderno de Propostas para ser apresentado aos candidatos ao governo do Estado. O estudo propõe alternativas em 11 áreas para um horizonte de 20 anos (2015-2035). Uma efetiva rede de soluções, apoiada por especialistas e instituições com um único objetivo: transformar o futuro do RS com base em uma gestão mais eficaz e um planejamento de longo prazo.

Dentre estes temas, sete foram considerados prioridade tendo em vista o objetivo de transformar o Rio Grande do Sul no melhor lugar para se viver e trabalhar. Educação, saúde, segurança, infraestrutura, inovação e tecnologia e agronegócio são as áreas fundamentais para que o Rio Grande do Sul volte a crescer significativamente. A gestão pública, de acordo com o Caderno de Propostas, precisa estar presente em todos os eixos de atuação. Forma-se, então, um bloco de prioridades com 1 + 6, tendo a gestão como fundamental para que qualquer uma das áreas obtenha resultados positivos.

Para cada tema há um diagnóstico detalhado da situação atual, a demanda exigida pela sociedade e pelos fóruns _ tais como universalização da saúde e da educação básica, políticas de prevenção à violência, equilíbrio das contas do Estado, aumento da capacidade de investimento, entre outras _ e propostas concretas de desenvolvimento contínuo e sustentável.

No site www.agenda2020.com.br você pode realizar o download  do caderno de propostas completo.

 

Fonte: Site www.agenda2020.com.br

 

Ijuí integra o projeto Desenvolvimento Econômico e Espacial do RS

Na manhã de hoje (02/10), estiveram reunidos no Gabinete do Prefeito de Ijuí, representantes de entidades do município, para dialogar sobre o projeto Desenvolvimento Econômico e Espacial do RS. O projeto é uma iniciativa da Agência Gaúcha de Desenvolvimento e Promoção do Investimento (AGDI), em parceria com a Universidade do Valo do Rio dos Sinos - Unisinos, com o objetivo de propor um conjunto de ações para o desenvolvimento socioeconômico sustentável do Rio Grande do Sul, a partir da identificação dos ativos fundamentais de cada região, ou seja, na potencialização das aptidões regionais, para tornar o Estado, até 2030, o mais inovador e sustentável da América Latina.

Este projeto será desenvolvido em 27 cidades gaúchas, mapeadas como município chave para o processo de desenvolvimento do Estado, nas quais os pesquisadores liderados pelo Dr. Marc Weiss presidente da Global Urban Development, contratado pela AGDI para atuar no projeto e pelo professor coordenador do projeto na Unisinos, Marcelo André Machado irão conhecer as potencialidades econômicas e sociais da cidade visando prever formas de atrair fontes de investimentos para a região.

No encontro destacou-se como áreas potenciais existentes em Ijuí: a energia elétrica (pela capacidade de geração de energia); a educação (o desenvolvimento de diversos projetos na área do ensino, em todos os níveis); a saúde (polo regional da saúde, com atendimentos desde a saúde básica até a alta complexidade); o sistema cooperativista muito difundido na região; a localização geográfica privilegiada para o escoamento da produção; o comércio, a prestação de serviços e a indústria; e a agropecuária como base e suporte para o desenvolvimento pretendido.

 

 

Maio Amarelo recebe prêmio internacional

O Movimento Maio Amarelo recebeu o prêmio internacional ?Boas Práticas de Segurança Viária?, durante a realização do IV CISEV (Congresso Ibero-americano de Segurança Viária), realizado em Cancun, no México entre 30 de setembro e 2 de outubro. O Movimento Maio Amarelo concorreu com 108 iniciativas inscritas por 21 países da América Latina e do Caribe. A premiação é uma iniciativa do IVIA (Instituto Ibero-americano de Segurança Viária http://www.institutoivia.com/) que realiza o Congresso.

A AEC (Associação Rodoviária da Espanha), membro-fundador do IVIA, com o apoio do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) promovem esse prêmio com o intuito de conhecer as ações implementadas em toda América Latina e Caribe por instituições públicas e privadas para reduzir os acidentes e melhorar a segurança viária. A ideia é recompensar a iniciativa de maior sucesso, mais inovadora e eficaz.

O Observatório Nacional de Segurança Viária, presente no IV CISEV para palestrar em dois momentos distintos do Congresso recebeu o prêmio em nome de toda sociedade brasileira.

SOBRE O MOVIMENTO:

O Movimento Maio Amarelo foi uma iniciativa de várias entidades brasileiras, entre elas a Frente Parlamentar em Defesa do Trânsito Seguro e o Observatório Nacional de Segurança Viária, com o intuito de colocar em pauta para a sociedade a questão da segurança viária com o objetivo único de reduzir os acidentes de trânsito. Maio foi o mês escolhido pois comemora-se o início da Década de Ação para Segurança no Trânsito, proposta pela ONU (Organização das Nações Unidas) a todos os países membros. Amarelo foi a cor escolhida por ser considerada, pela sinalização de trânsito, a cor da atenção. E o símbolo do Movimento é o laço amarelo, assim como o laço do Outubro Rosa e de outros tantos movimentos da sociedade em torno de uma causa nobre.

Veja aqui o anuncio do Prêmio: http://www.institutoivia.org/IVcisev/Boletin-25.pdf

 

 

Informações Adicionais